A Outra Companhia de Teatro é um grupo de teatro que desenvolve ações em diversas áreas do setor criativo: pesquisa, criação, montagem e difusão de espetáculos; intercâmbio cultural com artistas e grupos cênicos do país; formação, capacitação artística e mediação cultural; produção de eventos; registro e memória.

Rede Social

Espetáculo SERTÃO estreia no dia 13 de setembro na Casa d’A Outra Companhia

A Outra Companhia de Teatro estreia no dia 13 de setembro SERTÃO, espetáculo que nasce a partir das viagens do grupo por cidades sertanejas ao longo de seus 14 anos de trajetória, com destaque para a circulação no ano de 2017 representando a Bahia no Palco Giratório do Sesc. A montagem que fica em cartaz até 05 de outubro, sempre às quintas e sextas-feiras, às 20h, aborda o aspecto temporal do sertão.

“Em SERTÃO, o ontem e hoje se confundem e se distanciam no sertão contemporâneo “contaminado” de referências metropolitanas e globalizadas, ressignificadas, mas sertanejas. Para além da geografia, do espaço, do mapa, o sertão é um território de pertencimento, de reconhecimento, de identidade”,

declara Luiz Antônio Sena Jr, dramaturgo, diretor e ator do espetáculo.

Cantado e contado por muitas vozes, o espetáculo SERTÃO nasce como mais uma voz a refletir/cantar/contar/sonhar sobre mítico e real, seco e cheio de vida desta faixa de terra majoritariamente nordestina que constrói tanto imageticamente, quanto concretamente o Brasil. Relendo as mais diversas referências a peça é ancorada na biografia dos atores e na biografia ficcional e real do dramaturgo Luiz Antônio Sena Jr, que mais do que apresentar respostas, busca perguntas, pontos de vista, possibilidade, sem perder de vista o imaginário coletivo, as manifestações populares, o misticismo e a musicalidade que constroem esse espaço.
A dramaturgia fragmentada de SERTÃO é costurada pela música executada pelos atores ao vivo, de modo que essa linguagem assume uma função dramática, amalgamando a poética trazida a cena com letras que reforçam os discursos das cenas ao mesmo tempo que friccionam convocando um alargamento da fruição. Para isso, o dramaturgo e o diretor musical trabalharam juntos desenvolvendo uma pesquisa ampla e consistente em torno do cancioneiro popular sertanejo e da literatura que evoca a região.

Partimos do imaginário coletivo e sertanejo para escolher as canções que permeiam a peça. Além disso, tem composições autorais que surgiram no processo, escritas por mim em parceria com os atores, mas totalmente ligadas ao que ocorre nas cenas, seguindo uma linha brechtiana

explica Roquildes Júnior, diretor musical e ator.

A visualidade assinada também pelo diretor/dramaturgo, em parceria com outros artistas (Luiz Buranga – caracterização, Alisson de Sá – iluminação), evocam a construção de uma imbricada teia de sentidos. A fragmentada história vai se construindo num ambiente de quintal de casa, de terreiro de vó, de festa junina, assim como campo de guerra, zona atravessada pelo tráfico, terra de sangue ferrado e violência instituída, com suas alegrias e tensões que fazem do sertanejo, antes de tudo um forte, parafraseando Guimarães Rosa.

O ator da companhia Anderson Danttas assume a direção de corpo e movimento do espetáculo, inspirando-se na realidade diária da labuta e vivências do corpo calejado do povo sertanejo, buscando o pedaço de sertão que está nos poros, dobras e pulsos de cada um.

Partindo de experimentações e impressões registradas na pele dos integrantes do elenco, a energia da montagem é de uma boa festa de boiadeiro caboclo/caveleiro e suas microhistórias atravessadas pelo sincretismo religioso dando direcionamento aos corpos na cena.

“Com um olhar mais apurado para as festividades e suas celebrações, como as danças folclóricas; quadrilhas juninas; pau de fitas presente em diferentes regiões sertanejas com nomenclaturas distintas; nas procissões em festas de padroeiro orientado por rezadeiras que nunca fizeram aula de canto”,

descreve Danttas.

Em SERTÃO, além dos integrantes d’A Outra Companhia – Roquildes Júnior, Luiz Antônio Sena Jr, Eddy Veríssimo, Luiz Buranga e Israel Barreto -, o grupo convida quatro intérpretes: Roberto Cândido, Taís Grecco, Elisângela Cajé e Igor Nascimento. Todos se revezam em personagens, tocam, dançam e cantam, além de mover a estrutura cenográfica e executar funções de operação de som e luz – ressaltando a multiplicidade característica dos trabalhos coletivos e recentes do grupo.

SERTÃO
de Luiz Antônio Sena Jr

Ficha Técnica

Concepção, dramaturgia e direção: Luiz Antônio Sena Jr.
Texto: Luiz Antônio Sena Jr. em colaboração com elenco
Elenco: Eddy Veríssimo, Elisângela Cajé, Igor Nascimento/Anderson Danttas, Israel Barreto, Luiz Antônio Sena Jr., Luiz Buranga, Roberto Cândido, Roquildes Júnior e Taís Grecco
Direção Musical: Roquildes Júnior
Composição Sonora: Roquildes Júnior e Roberto Cândido
Direção de Movimento e Coreografia: Anderson Danttas
Cenografia e Maquiagem: Luiz Antônio Sena Jr.
Cenotecnia: Luiz Buranga
Figurino: Luiz Antônio Sena Jr. e Luiz Buranga
Adereços: Luiz Buranga
Costura: Nete
Iluminação: Alisson de Sá e Luiz Antônio Sena Jr.
Coordenação de Produção: Luiz Antônio Sena Jr.
Produção Executiva e Mediação Cultural: Eddy Veríssimo
Design Gráfico: Rita Machado
Assessoria de Imprensa: Theatre Comunicação – Rafael Brito
Fotos: Ton Shübber
Registro audiovisual: Rogério Vilaronga
Realização: A Outra Companhia

 

O quê: SERTÃO
Quando: 13 de setembro a 05 de outubro – quintas e sextas-feiras, às 20h
Onde: Casa d’A Outra – Centro Comercial Politeama, Rua Politeama de Cima
Quanto: R$20 (inteira) e R$10 (meia) – www.sympla.com.br